20 anos do Penta: um pouco sobre os cinco títulos de Copa do Mundo da seleção brasileira
Futebol Interativo
Carregando...

30-06-22 |

20 anos do Penta: um pouco sobre os cinco títulos de Copa do Mundo da seleção brasileira

Compartilhe img

20 anos do Penta: um pouco sobre os cinco títulos de Copa do Mundo da seleção brasileira


Nesta Quinta-Feira, dia 30 de junho, se completam 20 anos dos dois gols de Ronaldo Fenômeno sobre a Alemanha de Oliver Kahn e o penta da seleção brasileira. Vamos relembrar um pouco sobre cada um dos cinco títulos da amarelinha, a maior campeã do mundo.

1958 - Suécia

A copa do mundo de 1958 foi sediada na Suécia e viria a ser o primeiro título do Brasil, vencendo a seleção anfitriã na final por 5x2, com gols de Zagallo, Vavá e dois do menino Pelé. A copa protagonizou gratas surpresas como o gênio de pernas tortas Garrincha e o jovem Edson Arantes do Nascimento com apenas 17 anos. Ambos conquistaram sua titularidade apenas no terceiro jogo da copa, e a partir daí se tornaram uma das maiores duplas que o mundo do futebol já viu.

Porém nem só de Pelé e Garrincha vivia aquela seleção, ela tinha um plantel de craques que vieram afazer história no futebol. Didi, Nilton Santos, Djalma Santos, Zagallo, esses são apenas alguns jogadores daquele elenco que venceram Áustria, União Soviética, País de Gales, França e Suécia até se tornarem campeões mundiais pela primeira vez. E não pararia por aí.

1962 - Chile

A seleção vinha embalada por ser a atual campeã e mudou pouco comparada com o time de 4 anos antes, mas dessa vez o protagonismo foi de Garrincha. Após Pelé se contundir na segunda partida do mundial, Mané tomou a responsabilidade para si e de forma mágica com dribles, gols e cruzamentos levou o Brasil a conquistar seu bicampeonato, o segundo título consecutivo, sobre a Tchecoslováquia.

Numa campanha com vitórias sobre México, Espanha, Inglaterra, Chile e Tchecoslováquia na final com apenas um empate contra os próprios tchecos na fase de grupos, o Brasil vencia novamente uma copa invicto e seguia como a melhor seleção do mundo e favorita para o mundial seguinte, que dessa vez não veio para o solo brasileiro e sim para o inglês.

1970 - México

Para muitos a maior seleção brasileira de todos os tempos, a equipe de 70 foi uma junção mágica de futebol bem jogado e de craques históricos, que fizeram daquela seleção tricampeã mundial. Sediada no México, a copa de 1970 recebeu os maiores jogadores da época e presenciou o chamado esquadrão liderado por Rivellino, Jairzinho, Pelé, Tostão e treinado pelo autor de um dos gols da final de 1958,Zagallo.

E era mais uma campanha invicta, vencendo sem dificuldades a Tchecoslováquia, Inglaterra, Romênia, Peru, Uruguai e goleando a Itália por 4x1 na final. Com 19 gols marcados e apenas 7sofridos, o Brasil se sagrava campeão pela terceira vez em 12 anos.

1994 - Estados Unidos

24 anos sem um título e após uma eliminatória conturbada se classificando apenas na última rodada contra o Uruguai no Maracanã, o Brasil chegou para a copa do mundo pressionado a apresentar melhores resultados e voltar a ser aquela seleção vitoriosa de anos antes.

Comandados por Carlos Alberto Parreira, a amarelinha passou sem muitas dificuldades da fase de grupos, batendo a Rússia por 2x0 e Camarões por 3x0, mas não se despediu com uma boa exibição, tendo empatado em 1x1 com a Suécia. Nas oitavas enfrentou os donos da casa Estados Unidos justamente no dia de 4 de julho, dia da independência americana, diante de 85 mil torcedores no estádio Stanford em San Francisco, com um calor insuportável e a agressão de Leonardo contra Tab Ramos culminando na sua expulsão, o Brasil com uma pressão gigante venceu os americanos por 1x0.

Aquele talvez foi o jogo mais difícil na copa, mas não quer dizer que os outros tenham sido fáceis, contra a Holanda nas quartas de final os brasileiros abriram logo um 2x0, mas deixaram os holandeses empataram a partida e com um gol redentor de falta feito por Branco no finalzinho colocou o Brasil nas semifinais. Nas semis encontraram novamente a Suécia e dessa vez veio uma vitória magra com gol do baixinho Romário, o Brasil se tornava finalista e reeditaria a final de 24 anos antes, contra a Itália de um dos melhores do mundo, Roberto Baggio.

Em um jogo com lances históricos como o beijinho na trave de Pagliuca e o gol debaixo da trave perdido por Romário, apesar do leve domino brasileiro, o jogo terminou empatado na prorrogação por0x0 e foi para os pênaltis, cobranças essas que proporcionaram o pênalti isolado por Baggio e a épica narração “É tetra!” de Galvão Bueno, o Brasil se tornava o primeiro tetracampeão do mundo sobre a mesma seleção que havia se tornado o primeiro tricampeão mundial em 1970.

2002 - Coreia do Sul e Japão

A última experiência em copas do mundo havia sido a frustrante derrota contra a França na final de1998, o resultado de 3x0 naquela decisão havia sido o placar mais elástico que a seleção havia sofrido até então em copas do mundo, carregado de polêmicas como a convulsão de Ronaldo Fenômeno.

Como já era de praxe, o clima não era dos melhores no início da competição, muito pelo fato do técnico Luiz Felipe Scolari não ter convocado o Romário, mas se o ambiente não favorável, aquele time compensou tudo isso no campo.

Ronaldo mais do que todos estava com uma vontade imensa de fazer um bom mundial, principalmente após o episódio de 1998 e mesmo com a grave lesão sofrida no joelho em abril de2000 pela Inter de Milão e com seu corte Cascão, o fenômeno foi o principal jogador da copa e ajudou o Brasil a fazer uma campanha de 100% de aproveitamento.

O Brasil venceu Turquia, China, Costa Rica, Bélgica, Inglaterra e a Alemanha na final, com dois de Ronaldo e falha de Oliver Kahn, Cafu levantou a taça de primeiro e único pentacampeão mundial até então, em solo japonês.

Após o título de 2002 a seleção viria a ter diversas decepções, como a derrota do time galático com Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho e Adriano Imperador para a França de Zinedine Zidane em 2006, ou como as eliminações para Holanda e Bélgica em 2010 e 2018 respectivamente. E o maior deles, o 7x1sofrido contra a Alemanha na própria casa em 2014, a maior derrota da história brasileira em copas do mundo.

De forma atípica, a FIFA World Cup deste ano será em novembro graças às condições climáticas do Catar. Em 24 de novembro de 2022 começa mais uma caminhada para o hexa, os comandados de Tite vão tentar pôr fim nessa seca de 20 anos e dar alegria a milhões de brasileiros.

COMENTÁRIOS

COLUNISTA FI

Gabriel Fernandes Victor Ver mais desse colunista

0 comentários

Essa publicação ainda não tem comentários.

Quero ser um colunista FI