A Psicologia do Atleta de Futebol - Personalidade
Futebol Interativo
Carregando...

27-05-22 |

A Psicologia do Atleta de Futebol - Personalidade

Compartilhe img

A Psicologia do Atleta de Futebol - Personalidade


Personalidade: O início de tudo

Personalidade é um conjunto de características individuais as quais são relativamente permanentes e estáveis. É o conjunto de todas as características que fazem de cada pessoa alguém único e é caracterizada pela composição individual dos traços de um indivíduo, constituídos a partir das suas necessidades, motivos, interesses, atitudes e temperamento.

O modelo de Eysenck é internacionalmente aceito e tem sido amplamente estudado dentro do futebol. Trata-se de dois superfatores: Introversão-Extroversão e Instabilidade-Neuroticismo. Segundo Eysenck, esses fatores são basicamente determinados por questões genéticas, porém, sob o ponto de vista da interação das pessoas com o ambiente, há alterações na manifestação do comportamento humano. O desenvolvimento da personalidade se dá, portanto, a partir da interação dos fatores individuais e socioambientais.

O desenvolvimento da personalidade é integrado ao desenvolvimento humano como um todo (motor, cognitivo, motivacional, social e emocional) da infância até a idade adulta. Assim, todas as experiências vivenciadas na primeira infância até a fase adulta podem influenciar na manifestação do comportamento dos traços de personalidade do indivíduo. Portanto, os traços de personalidade são o início de todo o processo que determina o comportamento humano, porém, não são os determinantes finais. Estudos apontam que a participação no esporte de rendimento pode influenciar nestas manifestações.

A relação entre esporte e personalidade apresentada por Samulski (2002) explica que há três relações possíveis de ocorrerem (destacar sequência abaixo):

1)    a hipótese de seleção;

2)    a hipótese de socialização;

3)    a hipótese de interação.

Na hipótese de seleção, pessoas com traços de personalidade específicos se interessam por determinadas modalidades esportivas ou por formas especiais de prática esportiva, da mesma forma que são escolhidos pelo subsistema esportivo. Existe uma melhoria da adaptação da estrutura da personalidade e ao perfil da exigência das modalidades desportivas. Exemplo: geralmente as pessoas orientadas para o rendimento se dedicam ao esporte competitivo. 

Na hipótese de socialização, o esporte é considerado como fator socializante. A atividade esportiva influencia a personalidade e o desenvolvimento da personalidade de uma forma específica, altera por exemplo a motivação para o rendimento, o comportamento agressivo, o papel da mulher. Por fim, na hipótese de interação os processos de seleção e de socialização interagem entre si, acentuando a personalidade do indivíduo.

+ Já conhece a nossa Especialização em Psicologia no Futebol? Veja mais aqui!

Existe um modelo ideal para “ser atleta”? A resposta é não, porém, estudos têm mostrado alguns traços que são fundamentais para o engajamento e para o enfretamento das situações adversas que ocorrem ao longo da formação do atleta. Dentre as características até então estudadas, são determinantes para o atleta:

Características pessoais determinantes para o sucesso do atleta no esporte profissional (SAMULSKI, 2002):

- Ser motivado para o rendimento
- Disciplina
- Organização
- Estabelecer metas exigentes e realistas
- Espírito de liderança
- Autodomínio
- Capacidade cognitiva elevada
- Controle emocional
- Autoconfiança
- Capacidade de comunicação social
- Resistência psíquica

Ainda assim, é possível identificar no esporte de alto rendimento, especialmente no futebol, atletas e treinadores que não conseguem se adaptar ou lidar com a carga emocional deste contexto. Não é incomum encontrar casos de ansiedade; medo do fracasso; tendência para atitudes depressivas; sensibilidade exagerada diante do insucesso ou da crítica externa em personagens importantes do futebol nacional e internacional.

O estresse e suas implicações no desempenho do atleta e do treinador

Como já aprendemos no texto Psicologia do Esporte aplicada ao futebol, motivação, ansiedade e estresse estão dentre os principais tópicos de investigação em Psicologia do Esporte. O estresse é definido como “um desequilíbrio substancial entre demanda (física e/ou psicológica) e capacidade de resposta, sob condições em que deixar de satisfazer tal demanda tem importantes consequências”. É uma resposta não específica do corpo para qualquer demanda de mudança.

O estresse é, portanto, o estado em que a homeostase do organismo é alterada, como resultado de estímulos estressores. Em resposta à condição de estresse, Selye (1959) denominou como “Síndrome Geral de Adaptação” os eventos de resposta ao estresse que ocorrem em três importantes fases:

1) a reação de alarme, na qual o organismo percebe o estímulo estressante;
2) a fase de resistência, que consiste na tentativa de adaptação do organismo frente ao estímulo;
3) a fase de exaustão, quando o organismo perde a capacidade de adaptação.

 Você já se viu diante de uma situação de estresse dentro ou fora do contexto do esporte? Consegue identificar as três fases explicitadas acima? Para melhor compreensão da Psicologia do Esporte aplicada ao contexto do Futebol estude gratuitamente no FUTMIND - O Jogo Mental do Futebol. Inscreva-se!

COMENTÁRIOS

COLUNISTA FI

George Klinger Ver mais desse colunista

Carlos André Sousa Rêgo

Precisamos trabalhar isso na base em todos os aspectos

30/06

Quero ser um colunista FI